O Ministério da Educação (MEC) anunciou que a liberação de R$ 1,821 bilhão para a pasta será destinada, principalmente, para universidades e institutos federais de educação. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (30), em Brasília.

De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, as universidades e institutos vão receber R$ 1,156 bilhão do total descontingenciado – o que representa 63,4%. O recurso chegará às instituições imediatamente, ainda de acordo com Weintraub. ]

Veja como será a distribuição dos recursos:

  • 1,156 bilhões para universidades e institutos
  • 270 milhões para bolsas Capes
  • 105 milhões para exames da educação básica
  • 290 milhões livros didáticos

Segundo o ministério, com esse desbloqueio o percentual de verbas discricionárias das universidades que seguem contingenciadas caiu para 15%. Antes, o MEC havia anunciado o bloqueio de 24,84% destes recursos. Despesas discricionárias são aquelas não obrigatórias. Elas podem ser de dois tipos: despesas de custeio (contas de luz, água, telefone, pagamento de terceirizados, verba para pesquisas) e despesas de investimento (obras e seus equipamentos). O orçamento total das universidades inclui o pagamento de funcionários e aposentadorias (despesa de pessoal), é obrigatória e não pode sofrer cortes.

Há uma semana, o governo anunciou que liberaria R$ 8 bilhões contingenciados em várias pastas – R$ 1,6 bilhão da Educação.

Agora, o MEC detalha como será a destinação do recurso, que acabou ganhando uma atualização de valores.

Desde o início deste ano, o MEC já passou por dois contingenciamentos no orçamento: R$ 5,8 bilhões em abril R$ 348,47 milhões em julho.

A Defensoria Pública da União chegou a entrar na Justiça pedindo o fim da suspensão das verbas das universidades federais do Rio de Janeiro.

Fonte G1

Compartilhar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.