Alegrete é a sexta cidade do Estado em criação de empregos com carteira assinada

Um levantamento realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação, Ciência e Tecnologia apontou Alegrete manteve o comportamento de criação de empregos formais nos últimos 15 meses, posicionando-se entre as dez cidades que mais impulsionaram o mercado de trabalho no Rio Grande do Sul.

O Município de Alegrete criou neste período saldo positivo de 1023 vagas com carteira assinada e se manteve na sexta posição no estado. “Se levarmos em conta que ficamos na metade sul e na zona de faixa de fronteira, onde se concentram os municípios menos desenvolvidos economicamente, figuramos como o 1º colocado”, destaca o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Jesse Trindade dos Santos.

Quando calculado o número de empregos criados em relação à população (número de empregos criados divididos pela população residente no município) Alegrete se posiciona na terceira colocação do estado. “Isso é gratificante, pois a prefeitura busca facilitar a criação de empresas, microempresas e de microempreendedores individuais, buscando a celeridade na abertura das mesmas, agilizando os processos de emissão de alvarás e de fiscalização de atividades ilegais nas indústrias, comércios e serviços, redundando obviamente em empregos diretos e indiretos”, comenta Jesse.

De acordo com o secretário, os dados foram pesquisados no Programa de Disseminação das Estatísticas do Trabalho (PDET) do Ministério do Trabalho, que tem por objetivo divulgar informações oriundas de dois Registros Administrativos, RAIS – Relação Anual de Informações Sociais – e CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, à sociedade civil.

O CAGED foi criado como registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e serve como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que subsidia a tomada de decisões para ações governamentais.

Departamento de Comunicação – PMA

Compartilhar!


Comentar com Facebook