Deputado Frederico Antunes com o empresário Onélio Pilecco

Três décadas de lutas, mobilizações e muito trabalho, marcaram a história da Federação das Associações dos Arrozeiros do Rio Grande do Sul, cuja trajetória se funde com a atividade política do Deputado Frederico Antunes, em defesa da agronegócio, em especial, o setor orizícola.

Para marcar os 30 anos da Federarroz, Frederico prestou homenagem à entidade durante o período do Grande Expediente, na sessão plenária desta terça-feira, 24 de setembro, e iniciou sua saudação lembrando da Assembleia Geral de produtores de arroz, realizada no dia 5 de setembro de 1989, que deu origem à Federação. O objetivo era fazer a defesa dos interesses dos orizicultores gaúchos em temas que necessitavam de articulação e negociação, buscando atender aos anseios dos arrozeiros. Além da valorização dos homens e das mulheres do campo, que produzem 70% do grão mais popular no prato do brasileiro todos os dias.

Segundo a Organização para a Alimentação das Nações Unidas, o arroz é o alimento básico de mais da metade da população mundial. É um poderoso carboidrato complexo e fonte de energia com baixo teor de gordura, além de fonte de vitaminas, aminoácidos e minerais.

Em suas mais diversas batalhas, a Federarroz atuou fortemente nestes 30 anos, em temas como o Plano Collor, o endividamento, o código florestal, a abertura de mercados, a defesa da nossa metade sul, entre tantas outras pautas relevantes para o setor. Assistiu a criação do Mercosul e participou, em Assunção e Montevideo, das tratativas das regras de mercado e limites de cotas. Conquistou o espaço que desfruta até hoje em sua pauta reivindicatória e consolidou-se como liderança nacional. Ganhou sobrevivência econômica, respeito da mídia e respaldo político.

O Deputado Frederico Antunes saudou todos ex-presidentes que fizeram a história e também a atual gestão, recém empossada para o próximo triênio, sob o comando do presidente Alexandre Velho. Lembrou ainda que a entidade sem fins lucrativos e apartidária, representa 16 associações de arrozeiros regionais e municipais, que acolhem aproximadamente 10 mil produtores de 135 municípios gaúchos, gerando 37 mil empregos diretos com carteira assinada. Mais de 140 cidades gaúchas tem a sua economia baseada na lavoura do arroz, sendo esta cultura a responsável por 4% do ICMS do Estado.

“E o trabalho continua em diversas frentes, tais como a elaboração de políticas agrícolas, a ampliação do acesso ao crédito oficial, a redução dos custos de produção e da carga tributária, o seguro rural, a legislação ambiental, o preço mínimo do grão, os incentivos na gestão do negócio, a abertura de novos mercados, a adoção de boas práticas ambientais e sociais, a segurança alimentar, a sustentabilidade, além das questões sanitárias e agroquímicas. Neste quesito valor ressalta, que as pesquisas da ANVISA e do Ministério da Agricultura apontam que o arroz produzido em solo gaúcho é livre de agrotóxicos, o que demonstra a grande preocupação do produtor com a preservação ambiental, em harmonia com a produção em larga escala”, disse Frederico durante seu discurso.

Por fim, o parlamentar destacou que em defesa do setor orizícola, ele tem a honra ser um dos 21 deputados que integram a Frente Parlamentar da Agropecuária Gaúcha, iniciativa proposta pela entidade. A bancada do arroz como é conhecida, é pluripartidária e tem o compromisso de entrar em cena a partir da pauta que o setor apresentar ao parlamento estadual.

Também prestigiaram o Grande Expediente o representante do Secretário da Agricultura e sub secretário do parque Assis Brasil, José Arthur Martins; o presidente da Federarroz, Alexandre Velho; Breno Prates, primeiro presidente da Federarroz; o Defensor Público-Geral, em exercício, Antônio Flávio de Oliveira; o consul-geral do Chile Mário Arrigada; o representante da FARSUL, Francisco Schardong; o representante da FIERGS, Onélio Pilecco; o representante da FETAG, Pedrinho Signori; e diretor jurídico da Federarroz, Anderson Belloli.

Compartilhar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.