Em teleconferência da Frente Parlamentar em Defesa do Milho da Assembleia Legislativa, o presidente da Fetag-RS, Carlos Joel da Silva solicitou, nesta segunda-feira (11), a anistia total dos R$ 17,3 milhões devidos pelos agricultores que participam do Programa Troca-Troca de Sementes de Milho. O valor equivale aos 72% da parcela de responsabilidade dos agricultores no pagamento da semente. Os outros 28% são subsidiados pelo governo estadual. Com a seca, segundo Joel, o agricultor não consegue pagar a sua parte. “A anistia é o ideal, mas estamos abertos a possibilidade de negociação”, disse o dirigente.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, explicou que uma anistia envolve a necessidade de suplementação sob pena de comprometer o calendário do programa. O chefe da Casa Civil, Otomar Vivian e o líder do governo, deputado Frederico Antunes, se comprometeu a realizar uma reunião com a Secretaria da Fazenda até quarta-feira (13) e voltar a conversar com a Fetag-RS e os deputados para, após, levar proposta ao governador Eduardo Leite.

Dados da Fetag-RS indicam que 90% dos 52,5 mil agricultores familiares que participam do programa estão com dificuldades de pagar o financiamento das sementes, que começa a vencer em 31 de maio. O Programa Troca-Troca, criado em 1988, é hoje o único programa estadual de fomento aos agricultores gaúchos de milho. Participaram ainda os deputados estaduais Edson Brum (MDB) e Heitor Schuch (PSB).

Compartilhar!