Vamos falar a real sobre o fogo…
A alguns anos atrás, sugeri a um vereador muito bem votado aqui no Alegrete que encaminhasse um projeto para que o Executivo pudesse contingenciar recursos para enfrentarmos os problemas com fogo na cidade e até nos campos como temos vistos nos últimos dias. O fogo não espera reuniões para ver de onde sairão os recursos que precisamos para combatê-lo. Até hoje nada foi feito.
O fogo em seu início é muito fácil controla-lo, as pessoas demoram em decidir acionar as aeronaves. De nossa parte não podemos decolar sem que alguém nos autorize, por isso as coisas precisam ser definidas previamente.
As aeronaves, principalmente as de maior porte em virtude de sua maior capacidade e velocidade, tem muita facilidade de chegar nos focos de fogo e mudar sua decisão de onde atacar e não tem obstáculo que nos impeça de chegar lá, caso necessário, muito rapidamente. Em termos de estrutura é apenas água e pistas seguras para operação dessas aeronaves de maior porte. É grande a nossa deficiência nesses quesitos. Como exemplo cito que mesmo no nosso aeroporto municipal não tem um ponto de captação de água, e é a pista mais próxima da parte oeste da cidade, se ocorrer um sinistro para aqueles lados, novamente teremos dificuldades operacionais. O ideal seria que as aeronaves coordenassem a ação dos bombeiros, em virtude da posição, visão e velocidade de deslocamento, sinceramente não sei se por legislação isso seria possível.
Para finalizar, sugiro aos políticos e gestores públicos que trabalhem na prevenção e ações para que ao acionar aeronaves tenhamos recursos e estrutura para rapidamente agirmos. Estamos sempre prontos, como sempre estivemos no fomento e proteção à agricultura e pecuária, base da economia do nosso município.
Marcos Antônio Camargo
Sócio-Diretor da ITAGRO Aviação

Compartilhar!