Brasil é um dos maiores produtores mundiais de soja no padrão RTRS.

Volume produzido, de acordo com o certificado da Associação Internacional de Soja Responsável, se situa em torno de 3,3 milhões de toneladas.

A Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) é uma plataforma global que promove a produção, o processamento e a comercialização responsável da soja em nível global. A associação tem como seus membros os principais representantes da cadeia de valor da soja e da sociedade civil do mundo, como bancos, produtores, ongs, indústrias, supermercados, entre outros. De acordo com a filosofia da RTRS, os atores das diferentes áreas e com interesses diversos têm direitos iguais e se unem em torno de um objetivo comum, garantir o diálogo e tomada de decisão, garantindo a produção de soja ambientalmente correta, socialmente justa e economicamente viável no mundo todo.

Os dados divulgados recentemente indicam que 2019 foi um ano de evolução para a RTRS, com número considerável de toneladas de soja certificada e comercializada e, principalmente, a constância de empresas que exigem soja certificada RTRS e evidenciam seu compromisso com a aquisição de soja responsável.

Os números mostram que foram certificadas quatro milhões de toneladas de soja na América Latina (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), Estados Unidos e Ásia. O Brasil é o maior produtor da RTRS, com 3,3 milhões de toneladas. Além disso, mais de 17 países comercializam soja certificada pela associação no mundo.

“Há o interesse constante na certificação RTRS de novos produtores que ouvem falar da produção responsável por meio de seus vizinhos, das empresas que compram soja na cadeia, das Cooperativas, dos fornecedores de insumos, entre outros players”, explica Cid Sanches, Consultor Externo da RTRS no Brasil.

A área utilizada em 2019 para a soja RTRS foi de um milhão de hectares no mundo inteiro e mais de cinco mil produtores foram certificados por seguirem as especificações de produção da RTRS. Atualmente de acordo com os padrões mais rigorosos, transparentes e holísticos em matéria de certificação ambiental e social a RTRS aumentou sua produção em vários milhões de toneladas, sem que causasse qualquer desmatamento.

O aumento da demanda por soja responsável é um dos principais incentivos para os produtores ampliarem ainda mais a certificação de suas propriedades. Embora ainda exista soja certificada pela RTRS à espera de compra – tanto na forma de créditos quanto nas cadeias de suprimento de balanço de massa – a Associação está empenhada no fomento contínuo à demanda crescente.

E ela deve crescer, à medida que cada vez mais todos os setores reconhecem o valor do padrão RTRS e os seus inúmeros benefícios. Em 2019, a RTRS conquistou mais 12 membros, a maioria dos setores de Indústria, Comércio e Finanças. Com isso, três novos países (Canadá, EUA e Espanha) se juntaram com intuito de colaborar no trabalho de boas práticas agrícolas e comerciais sustentáveis, em busca de promover suas estratégias e atingir suas metas de sustentabilidade.

“O empenho de todos na RTRS é atrair novas empresas compradoras e novos países que demandem a soja responsável. Há muito interesse e busca por entender como é, e como funciona o mercado da RTRS em diferentes países do mundo. Assim, é importante compartilhar informações de credibilidade e que facilitem o entendimento de todos na cadeia da soja”, reforça Sanches.

O Brasil é um dos maiores produtores de soja RTRS no mundo, sendo responsável por mais de 85% do volume total. Atualmente, são 212 produtores, totalizando 3,3 milhões de toneladas.

Em relação à produção total por estado, o estudo apontou que o Maranhão e Mato Grosso são os que possuem a maior produção certificada em relação aos demais. No estado do Maranhão, aproximadamente 25% da produção total do estado já é certificada pela RTRS e no estado de Mato Grosso, mais de 1,6 milhão de toneladas são certificadas.

Outro ponto muito importante, é que hoje já existem produtores certificados RTRS em 4 Biomas do Brasil – Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica e Caatinga – mostrando que não há restrições que possibilitem os produtores rurais atingirem este mercado sustentável.

Alcance Global

Segundo dados da RTRS, em 2019 mais de 17 países compraram soja certificada pela associação. Ocupando o primeiro lugar estão os Países Baixos, responsáveis por 30% da compra de soja certificada, seguido pelo Reino Unido com 16,18% e Escandinávia com 14,17%.

Do ponto de vista das compras, é muito importante destacar a tendência anual positiva no “mapa de compradores.” Segundo os dados, em 2016 e 2017, os Países Baixos foram, de longe, o líder global em matéria de adoção de materiais certificados pela RTRS, representando 66% do volume total. Em 2018, o percentual de adoção de materiais certificados pela RTRS nos Países Baixos, em 2019, foi para 30%, isso se deve a entrada de outros países, incluindo a região da Escandinávia e o Reino Unido, que aumentaram sua participação e compromisso com os materiais certificados pela RTRS.

FONTE: DATAGRO.

Compartilhar!