Minuano FM

Notícias de Alegrete e região

Alegrete representada na Conferência Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres

mulheres

Nos últimos dias 7 e 8 de novembro, Alegrete foi representada na 5ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres. O evento, que foi realizado no Centro de Treinamento do Banrisul, zona sul de Porto Alegre, contou com a participação de mais de 1,2 mil mulheres, delegadas eleitas nas conferências municipais.

 

Divididos em quatro grupos de trabalho, os debates tiveram quatro com eixos de discussão: o papel dos conselhos de direitos e dos movimentos feministas, as estruturas de gestão de políticas para as mulheres, a participação das mulheres na política e a proposta de criação de um Sistema Nacional de Políticas para as Mulheres, seguindo os moldes do SUS.

 

Além do respeito à diversidade e a reafirmação da necessidade de manter a luta das mulheres pela garantia de mais direitos na busca da igualdade, o objetivo da conferência era garantir que as políticas públicas para as mulheres sejam políticas de Estado e não de governo, o que possibilita a estabilidade dos avanços já conquistados, evitando que as políticas passem por retrocesso com a mudança de governantes.

Além das discussões dos eixos temáticos, a conferência também teve espaço para a apresentação de reivindicações, como moções que requerem a retomada da Secretaria de Políticas para as Mulheres no RS, que atualmente funciona junto à Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos com status de departamento. Debateu-se, ainda, a necessidade da volta do status de ministério pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres.

 

Representaram Alegrete na conferência: Iara Prates, Ida Salbego, Giovanna Vargas, Adelina Tubino, Rosa Cardoso, Lela Maria Ferreira, Terezinha de Fátima de Menezes e Laila Naymaer, acadêmica de Pedagogia da UERGS, que avaliou positivamente o evento. “Pudemos dialogar com as coordenadorias de outros municípios sobre a aplicação de políticas públicas para as mulheres e discutimos o papel social da mulher na política que, apesar dos avanços, ainda não é de protagonismo”, afirma.

 

Para a prefeita em exercício e coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres, Preta Mulazzani, é muito importante que a cidade esteja inserida nos espaços de debate. “Ainda que não tenhamos conseguido eleger delegadas para a conferência nacional, a experiência que as delegadas trouxeram traz uma nova perspectiva para os debates que estamos fazendo aqui”, comenta.

Compartilhar!