Alegrete já atinge 19% da meta da vacinação contra Influenza

Foto: Arquivo

A Prefeitura de Alegrete, através da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, iniciou no dia 10 de abril a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que se estenderá até o dia 26 de maio.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, até o dia de hoje, 20 de abril, já foram vacinados 4.325 pessoas, 19% da meta total, que é de 22417 pessoas.

A Secretaria de Saude do município divulgou relatório nesta manhã, 20, onde informa que foram vacinados 447 crianças, 676 trabalhadores da Saúde, 142 gestantes, 63 puérpuras, 2.830 idosos, 62 apenados do presídio estadual, 21 funcionários do sistema prisional e 84 professores do Ensino Básico e Superior.

De acordo com o secretário de Saúde, José Fábio da Silva Pereira, o município de Alegrete tem como meta vacinar 4.015 crianças a partir de seis meses de idade até cinco anos; 694 gestantes; 114 puérperas (mulheres que tiveram filhos recentemente); 11.648 idosos; 4.267 pessoas portadoras de risco clínico e 1.709 profissionais de Saúde.

A saber:
Influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura 1 semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.
Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Os vírus influenza A são ainda classificados em subtipos de acordo com as proteínas de superfície, hemaglutinina (HA ou H) e neuraminidase (NA ou N). Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A(H1N1) e A(H3N2) circulam atualmente em humanos. Alguns vírus influenza A de origem aviária também podem infectar humanos causando doença grave, como no caso do A (H7N9).
Algumas pessoas, como idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza.
A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza.
Fonte: Ministério da Saúde

Compartilhar!


Comentar com Facebook